16.3.09

3 6 5

Trezentos-e-sessenta-e-cinco-dias. Tá longe de ser um foram-felizes-para-sempre, mas muito mais perto de um conto-de-fadas do que se podia imaginar no dia um. Minha aluna mais próxima (ela mora no andar de baixo, estou falando de distância, não fiquem com ciúmes) me lembrou do telefonema que recebi no meio da aula há um ano. E passamos por tudo: na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na mordomia e na dureza, nos amigos e inimigos, na democracia e na tirania. Meu amor me deu a mão nas horas boas e más, 365 vezes. 365 dias de felicidade. Amo. Meu!

2 comentários:

Rafah disse...

aiii ke tchuchuco isso Marcia!!!
*-*

Felicidades pra vcs

muitos anos mais...


Beijo

Incerta disse...

E porque nao mais? Porque felicidade tem que ser sempre!
Tudo de bom... subliminar, distinto e sutil.
Abraços.